Resenha: Annabel & Sarah da Editora Draco

Estive ausente nos últimos meses devido a uma forma de tortura praticada no Brasil contra jovens entre 17 e 25 anos (normalmente): o vestibular. Graças a esta oportunidade em forma de desgraça, foi impossível para mim chegar perto de qualquer assunto literário desvinculado da matéria exigida pela Fuvest ou pela Unicamp (e nenhum destes vestibulares exige literatura fantástica – ainda!).

Porém, agora estou no período do angustiante aguardo pelo resultado das provas e, nada melhor para afastar minha mente deste assunto do que livros!

E a primeira resenha que trago até vocês é de um famoso exemplar da nossa parceira Editora Draco:

Annabel & Sarah conta a historia de duas irmãs gêmeas, mas muito diferentes.  Annabel, uma garota cheia de atitude e sarcasmo não se entusiasma com a ideia de passar um fim de semana com a irmã Sarah, uma garota alegre e apaixonada por moda, que mora com a mãe do outro lado da cidade.

As coisas se transformam numa viagem à loucura quando mãos surgem de uma TV e sequestram Sarah. Agora, cabe a Annabel unir forças com um lobo detetive particular e encontrar a flor Amor-Perfeito, a unica coisa capaz de salvar sua irmã de um lugar onde todos são obrigados a serem felizes.
Elegante, divertido e de partir o coração, Annabel & Sarah vai te prender até a última página.”

O romance de estréia do autor Jim Anotsu vêm fazendo barulho durante todo o ano passado, e faz tempo que ele esta na minha prateleira, entre capas escuras, aguardando sua oportunidade. Quando tive que viajar até Campinas para realizar meus últimos dias de prova pensei que seria uma boa idéia carregar algum livro para me distrair, e ele pareceu a escolha ideal. E mostrou ser exatamente isto.

“Era uma vez uma menina chamada Annabel Lee que viveu a mais incrível das aventuras, em lugares enevoados e sombrios que preferimos esquecer na hora de dormir. Essa também é a história de uma outra garota de nome Sarah que, assim como sua irmã, caminhou por lugares ermos e assustadores”

Exatamente como indica o título da obra e a sinopse, este livro caminha ao lado das senhoritas Annabel e Sarah Lee. Mas não é algo tão simples quanto parece a primeira vista.

O relacionamento entre a gêmeas que vivem em casas separadas é, no mínimo, tenso. E é exatamente por este aparente ódio mútuo que, quando Sarah é sequestrada, e Ann vai atrás dela, que a história ganha esse tom humano.

“E no fim foi puxada pra dentro.

Um negro véu cobriu suas pupilas.

Travessia.”

Cada uma das Lee é enviada para um universo diferente, e lá deverão enfrentar diferentes provações, superando aspectos problemáticos em suas personalidades que só tenderiam a complicar suas vidas, enegrecendo a alma.

“Bom dia, dia bom,

bom dia, dia, dia, bom dia!

Bom dia Allegria!”

Sarah cai em uma cidade comandada pela tirana Gioconda onde a infelicidade é crime. Enquanto Annabel encontra-se em um mundo onde os papéis são inversos: animais dirigem e comandam suas próprias vidas, enquanto seres humanos servem de animais de estimação ou alimento.

Longos caminhos e grandes desafios terão que ser superados antes que estas irmãs possam se reencontrar.

Mas, até aqui, eu apenas falei do básico. Há muito mais que um enredo atraente escondido entre a capa preta e rosa deste romance. Tanto que merece ser lido pelo menos duas vezes. Referências ao universo dos clássicos cinematográficos e da música alternativa, assim como escritores antigos, filósofos e pintores aparecem com discrição e beleza pelas esquinas de Allegria e Kerouac.

Tudo isto somada a narrativa delicada e leve, fluente como uma boa conversa de Anotsu, torna Annabel & Sarah uma das grandes publicações da Editora Draco.

Se for preciso destacar um ponto negativo deste livro, creio que é seu final. Não posso explicar porque (seria spoiler), mas a perfeição dos acontecimentos destoa das desventuras que perseguem as irmãs Lee. Não deixa de ser uma conclusão atraente, e tem seu charme por ser o oposto do que era esperado, mas também parece um nariz torto no rosto de um galã: não faz com que ele deixe de ser bonito, mas você sabe que tem algo estranho ali.

nota: 8,7

Sobre o autor:

Jim Anotsu odeia dias de sol e chocolate amargo. Nasceu em algum lugar e foi por lá que começou a escrever. Seu autor favorito é R.L Stevenson. Annabel & Sarah foi escrito pouco depois de ter sido expulso de casa. Morou em Seattle e debaixo de algumas pontes por lá. Ama somente três coisas na vida: Livros, rock’n’roll e uma garota em especial. Atualmente se dedica à arte do tédio e aos cuidados com seu cão, Humbug.

twitter: @jimanotsu

-Nínive Leikis

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s